Seguros e hospitais privados estudam as necessidades do mercado português de Saúde

Seguros e hospitais privados estudam as necessidades do mercado português de Saúde

A Associação Portuguesa de Seguradores (APS) e a Associação Portuguesa de Hospitalização Privada (APHP) vão estudar e procurar definir, em conjunto, o perfil dos portugueses com seguros de saúde e as suas expectativas em relação aos cuidados de saúde. O objetivo é adequar a oferta de ambos às reais necessidades do mercado português de Saúde.

Esta iniciativa realiza-se na sequência de um acordo de cooperação entre as duas associações, celebrado em dezembro último, e que reconhece que as empresas de seguros e os hospitais privados são parceiros incontornáveis numa sociedade que assiste ao aumento da esperança média de vida e ao envelhecimento da população, ao crescimento do número de pessoas que beneficiam de seguros de saúde, bem como ao crescente número de cidadãos que procuram e têm acesso a uma rede diferenciada, alargada e alternativa de prestadores de cuidados de saúde.

A APS e a APHP celebraram este Protocolo de Cooperação para desenvolver projetos de interesse comum, tais como o estudo do perfil dos clientes efetivos e potenciais de seguros de saúde, bem como das suas necessidades e expectativas relativamente à prestação de cuidados de saúde. Este estudo será essencial para a reflexão sobre o atual modelo dos seguros de saúde e a eventual necessidade da sua reconfiguração para os ajustar aos desafios de contexto que se colocam num futuro próximo assim como às reais necessidades dos cidadãos.

Para Oscar Gaspar, presidente da APHP, «a celebração deste Protocolo entre a APS e a APHP é da maior importância, pelo reconhecimento de que os hospitais privados são parceiros no desenvolvimento da oferta privada de saúde em Portugal, contribuindo para o alargamento dos seguros de saúde e da sua adequação ao mercado português. As seguradoras e os hospitais privados sabem que uma relação bilateral sustentável, e em prol da oferta de saúde, se faz procurando soluções equilibradas e que respondam aos desafios da saúde».

Partilhe

Deixe uma resposta