Protocolo para Turismo Médico atingir os 100 M€

Protocolo para Turismo Médico atingir os 100 M€

O Turismo de Portugal, I.P., o Health Cluster Portugal (HCP), a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, EPE (AICEP) e a Associação Portuguesa de Hospitalização Privada (APHP) assinaram hoje o Protocolo de cooperação para a promoção internacional da oferta portuguesa de Turismo Médico, cujo potencial de volume de negócios se estima poder ser superior a 100 milhões de euros/ano.

A cerimónia foi presidida pelo Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, acompanhado pela Secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, pelo Secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias e pela Secretária de Estado Adjunta e da Saúde, Jamila Madeira.

As entidades subscritoras celebraram este Protocolo para uma mais eficaz gestão da promoção externa do Turismo Médico em Portugal. A capacidade de prestar cuidados a turistas já existia, mas agora este vetor de atividade passa a ser uma estratégia nacional. As sinergias entre os quatro subscritores, com o apoio institucional de diversos organismos do Estado, favorecem a formatação de uma identidade diferenciadora da oferta portuguesa e uma governance mais clara e reforçada da iniciativa.

O presidente da APHP recordou a importância do princípio “mais economia na saúde, mais saúde na economia”. «Alinhamos com a prioridade afirmada pelo Governo de colocar “Portugal a crescer mais”. Quando defendemos um acrescido acompanhamento da saúde por parte da economia é este o significado da nossa ambição: que se destaque que a atividade económica da saúde é muito relevante e que, como tal, as condições de desenvolvimento da atividade devem estar claras e assentarem num racional económico».

Salvador de Mello, Presidente do Health Cluster Portugal, salientou os desafios da visibilidade e da reputação: «Ultrapassar este e outros desafios é, certamente, um caminho que temos de fazer em conjunto, com o envolvimento de todos».

O Presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, congratulou-se com a assinatura do Protocolo e com o que este «representa para a valorização de Portugal como destino turístico, nas suas múltiplas motivações, aliando o profissionalismo e a modernidade dos cuidados médicos e de reabilitação, à excelência da hotelaria portuguesa, assim como ao clima e ao contacto com a natureza, numa experiência enriquecedora e gratificante. O Turismo de Portugal tem 16 equipas de turismo a atuar em 23 mercados que, a partir de agora, vão passar a promover este produto de forma estruturada e de acordo com as metas definidas na Estratégia Turismo 2027».

Luis Castro Henriques, presidente da AICEP, EPE, entidade com expertise importante no apoio à internacionalização das empresas e na exploração de oportunidades e missões no exterior do país, garante, por sua vez, máximo empenho no apoio as empresas que integram a oferta portuguesa de Turismo Médico, e conferir eficácia à promoção de Portugal como destino de Turismo Médico.

Na prática, e como referenciou o presidente da APHP, para «retirar o turismo médico do papel», as quatro entidades comprometem-se a colaborar na identificação do perfil dos clientes e das suas necessidades e expetativas relativamente à prestação de cuidados de saúde; no levantamento e prospeção junto dos principais prescritores de Turismo Médico (seguros, agências com ofertas relacionadas, subsistemas de grandes empresas, etc.); na articulação e no envolvimento dos prestadores de cuidados de saúde e de outros agentes económicos, na estruturação de ofertas relevantes, atrativas e competitivas; na conceção, desenvolvimento e operacionalização de campanhas de divulgação e promoção das ofertas portuguesas de Turismo Médico nos mercados alvo.

Partilhe

Deixe uma resposta