Presidente da ADSE: «Não se pode gerir de costas voltadas para os parceiros»

Presidente da ADSE: «Não se pode gerir de costas voltadas para os parceiros»

Com a pedagogia de quem esteve ligada ao setor da Educação desde 1987, Maria Manuela Faria, a nova presidente da ADSE, afirma que o Instituto de Proteção e Assistência na Doença dos Trabalhadores do Estado tem de evoluir para passar no exame dos seus beneficiários. A sua lição inicial versa o diálogo, expressão que referencia três vezes nesta que é a primeira entrevista que concede nas novas funções. Com beneficiários e parceiros, diz, «podemos nem sempre estar todos de acordo, mas com transparência e empenho de todas as partes prestaremos com certeza um bom serviço».

Com uma carreira consistente na Educação, o que a motivou a deixar o cargo de diretora-geral dos Estabelecimentos Escolares para assumir a presidência da ADSE?

Tal como a ADSE, a Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares, onde me encontrava como dirigente superior desde 2014, exigia determinação, bom senso e permanente diálogo. A ADSE, como Instituto de Proteção e Assistência na Doença dos Trabalhadores do Estado, tem um enorme e importante papel a desempenhar junto dos seus beneficiários como subsistema público de saúde e exige, na sua condução, os mesmos atributos.  Abraço este desafio com muito entusiasmo e espero contribuir para consolidar a ADSE como um Instituto de excelência ao serviço da saúde dos seus beneficiários, e faço-o com a mesma determinação com que abracei a Educação.

 

Em linha com a missão do Ministério da Modernização do Estado e da Administração Pública, que agora (co)tutela a ADSE, o que se prepara para modernizar a ADSE?

A ADSE tem uma enorme margem de progressão e a sua modernização já está em curso. Continuaremos a simplificação e desburocratização de processos com recurso às tecnologias mais recentes, não descurando o rigor de análise e promovendo o diálogo permanente com os nossos parceiros.

 

Muitos estudam e comentam a sustentabilidade da ADSE. Presume-se que este seja um tema prioritário no contexto da sua modernização. A solução passará também pelo alargamento do universo de beneficiários?

A sustentabilidade da ADSE está sempre presente nos nossos objetivos sem que tal ponha em causa a qualidade dos serviços a prestar aos seus beneficiários.  Uma das soluções poderá passar pelo alargamento do seu universo.

 

A ADSE IP tem uma identidade jurídica sui generis, nomeadamente com a presença dos beneficiários no Conselho Diretivo e a existência de um Conselho Geral e de Supervisão. Como vê o papel dos beneficiários no âmbito deste subsistema público de saúde?

A presença dos beneficiários no Conselho Diretivo e a existência do Conselho Geral e de Supervisão é uma mais valia para a ADSE com a qual me sinto muito confortável. É muito importante que os beneficiários façam parte do dia a dia do Instituto e que participem ativamente nas decisões que têm de ser tomadas.

 

Entende que o conceito de “diamante” de Porter, em que se considera que as instituições são tão fortes quanto garantem relações fortes com os seus diversos stakeholders, também se pode aplicar à ADSE?

Sem dúvida. Não se pode gerir de costas voltadas para os parceiros, mas sim com os parceiros. A ADSE servirá melhor os interesses dos seus beneficiários se estabelecer relações coesas e transparentes com todos.

 

Quem a conhece diz que é uma pessoa de convicções, de ação e de diálogo. Em que medida estas competências serão importantes na sua gestão da ADSE?

Não me identifico com atrasos nas decisões e nas ações que não tenham fundamento para tal.  As instituições destinam-se a servir o seu público e este tem o direito de ver os seus assuntos tratados com celeridade e competência. É esse ritmo que me proponho imprimir à ADSE sempre em diálogo com parceiros e beneficiários. Podemos nem sempre estar todos de acordo, mas com transparência e empenho de todas as partes prestaremos com certeza um bom serviço.

 

Qual é principal mensagem que gostaria de transmitir aos beneficiários da ADSE?

Quero sobretudo reafirmar o compromisso, já tornado público, de que trabalharei na evolução da ADSE, comprometida com a sua missão e empenhada em valorizar a saúde e o bem-estar de todos os beneficiários, contribuindo ativamente para trazer a inovação e a modernidade a esta Instituição. Tudo farei para valorizar a proteção da saúde dos nossos beneficiários e levar a ADSE a patamares de excelência.

Partilhe

Deixe uma resposta