Os 50 anos da APHP

Os 50 anos da APHP

É uma coincidência incrível, mas o número 50 da Feedback é editado no dia em que a APHP faz 50 anos. A aposta que fizemos na Feedback tem 5 anos e é um instrumento de partilha e de comunicação ao serviço do projeto que acertadamente foi lançado há 5 décadas em defesa de mais Saúde.

Foi no dia 29 de julho de 1971 que começou a história do associativismo da hospitalização privada em Portugal. Faz hoje exatamente 50 anos que se constituiu o Grémio Nacional de Casas de Saúde que, depois de várias atualizações decorrentes do próprio enquadramento da atividade, se transformou na Associação Portuguesa da Hospitalização Privada.

Hoje é um dia para celebrarmos e para recordar com gratidão o trabalho de todos os que fizeram estes 50 anos.

A evolução dos hospitais privados está à vista de todos. Somos hoje um pilar essencial do sistema de saúde português, representamos mais de 30% da capacidade hospitalar do país, merecemos a confiança regular de mais de 4 milhões de portugueses e estamos cada vez mais em todo o território nacional, com hospitais modernos e eficientes e equipas de profissionais altamente competentes. Portugal ganha imenso em ter um setor da hospitalização privada dinâmico e forte.

Acredito que para este desenvolvimento da hospitalização contribuiu o empreendedorismo, o profissionalismo e entrega, mas também a capacidade de nos associarmos. A APHP não presta cuidados de saúde, não tem camas nem blocos, mas tem conseguido ter uma agenda de promoção e de defesa dos hospitais privados, para que a sua atividade seja respeitada e para que se criem condições para o seu desenvolvimento.

A Associação não é a soma dos seus órgãos sociais nem uma sede na Avenida Luís Bívar, a Associação é o conjunto dos hospitais privados que se identifica como setor e que, para além de todos os legítimos e imprescindíveis interesses próprios, reconhece que há desafios que são de todos e que só uma perceção global do sistema pode contribuir para que as diversas partes se desenvolvam.

Um percurso de vida nunca é feito de forma isolada e cumpre-nos também agradecer aos parceiros que, em distintas circunstâncias, são parte da nossa história, como seja o SNS, as associações de doentes, as seguradoras, os subsistemas públicos de saúde, os nossos colegas de ambulatório, os sindicatos, a CIP, a indústria farmacêutica, a indústria dos dispositivos médicos, as empresas de equipamentos de saúde, as tecnológicas, o Ministério da Economia, os centros de investigação, a comunicação social, a banca ou a UEHP.

Um outro valor a realçar neste dia é o da participação. Foi o apelo à participação que nos juntou e é a intensidade e valor da participação que nos dá argumentos e que nos permite estar não só permanentemente atualizados como atentos às tendências. Apelo, assim, a um esforço permanente de participação nesta casa que é vossa.

As primeiras cinco décadas da APHP estão cumpridas e a forma como os portugueses olham atualmente para os hospitais privados diz bem do que conseguimos construir. A reputação que nos atribuem e até a expetativa com que nos veem são o resultado do investimento realizado, da aposta decisiva no que são as necessidades de saúde e na adaptação às mudanças.

Mas a História não para, até porque, em parte, somos nós que a contruímos. Nesse sentido, o momento em que celebramos os 50 anos é também a ocasião adequada para renovar o compromisso com os portugueses. Saibam que estamos aqui para continuar a dar o nosso melhor para proporcionar mais e melhores cuidados de saúde aos portugueses e a contribuir para o desenvolvimento do país.

Partilhe

Deixe uma resposta