Hospitalização privada reforça voz entre os empregadores europeus

Hospitalização privada reforça voz entre os empregadores europeus

As recentes eleições do presidente da APHP para a vice-presidência da Comissão Executiva da CIP, a maior confederação empresarial de Portugal, bem como para a vice-presidência da Business Europe, a maior confederação de empresas europeias, refletem o reconhecimento da relevância crescente das empresas do setor da saúde e representam um reforço da posição da hospitalização privada entre os empregadores europeus.

A tomada de posse dos órgãos sociais da CIP para o mandato 2020-2022 realizou-se a 12 de março último. A CIP representa 150 mil empresas, 1,8 milhões de colaboradores e 71% do PIB português.

Na Business Europe, o presidente da APHP foi eleito para um mandato de um ano, com efeito a partir de 1 de julho. A Business Europe congrega 40 confederações empresariais e industriais de 34 países, representando mais de 20 milhões de empresas.

Nessa dupla qualidade, o presidente da APHP participou, no dia 23 de junho, na Cimeira Social Tripartida, que reuniu governos, entidades patronais e sindicatos europeus. Realizada por videoconferência, reuniu a Presidência do Conselho Europeu, as duas Presidências seguintes (no contexto atual, Croácia, Alemanha e Portugal, respetivamente), a Comissão Europeia e parceiros sociais europeus e nacionais.

O contributo dos parceiros sociais para o relançamento do crescimento e do emprego após o impacto da Covid-19 foi o tema em debate. O presidente da APHP destacou a necessidade de a União Europeia se focar no essencial, com destaque para a robustez dos sistemas de Saúde; que o sucesso do Green Deal e da Digitalização exigem a promoção de mercados de trabalho resilientes e uma aposta robusta na educação e formação ao longo da vida; que a competitividade das empresas é essencial agora e no futuro; e que a União Europeia deve respeitar as competências dos Estados-Membros e a autonomia dos parceiros sociais.

Saúde é essencial no processo de recuperação da economia

As empresas e associações representativas de diversos agentes económicos da área da Saúde que integram o Conselho Estratégico Nacional da Saúde da CIP pretendem, no período Pós-Pandemia, ser um parceiro no processo de recuperação da economia portuguesa e da melhoria do nível de bem-estar da população.

Reconhecendo a qualidade do trabalho desenvolvido pelo Business at OECD (BIAC), apadrinharam, por isso, o documento “A call to action: business recommendations for future OECD work on health – Business at OECD (BIAC) thought starter”, que incorpora contributos com origem em Portugal.

Partilhe

Deixe uma resposta