Hospitais privados estão incondicionalmente disponíveis para participar no esforço nacional de combate à COVID-19

Hospitais privados estão incondicionalmente disponíveis para participar no esforço nacional de combate à COVID-19

Na sequência da emissão da Norma 004, pela Direção Geral de Saúde (DGS), com os termos da preparação do sistema de saúde para a Fase de Mitigação da Pandemia COVID-19, a Associação Portuguesa de Hospitalização Privada (APHP) reitera que os hospitais privados estão disponíveis para, incondicionalmente, participarem no esforço nacional de combate a este vírus, realizando a necessária articulação com o SNS, tal como é do conhecimento da DGS e da Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS).

Segundo a norma da DGS, que entra em vigor a 26 de março, «atendendo ao alargamento progressivo da expressão geográfica da pandemia COVID-19 em Portugal, urge planear as medidas que garantam uma resposta adequada, atempada e articulada de todo o sistema de saúde. Assim, o modelo de abordagem do doente com suspeita ou infeção por SARS-CoV-2 no SNS, constante na presente Norma, será aplicável às unidades de todo o sistema de saúde”.

Neste contexto, se, até ao momento, e sempre de acordo com as orientações da DGS, os doentes COVID-19 recebidos nos hospitais privados tinham que ser encaminhados para hospitais do SNS se necessitassem de internamento, a partir de agora, e «dentro das possibilidades de cada hospital, os hospitais privados assegurarão o internamento dos seus doentes diagnosticados com COVID-19 e cujo internamento se justifique clinicamente. O mesmo acontecerá com os cuidados intensivos», explica Oscar Gaspar, presidente da APHP.

De acordo com o presidente da APHP, os hospitais privados «estão também disponíveis para receber, cuidar e internar utentes que libertem os hospitais do SNS para o tratamento das pessoas infetadas com COVID-19, quer no que respeita a espaço, quer no que respeita a meios humanos e técnicos. Os hospitais privados participam incondicionalmente no esforço de saúde e farão a necessária articulação com o SNS, tal como é do conhecimento da DGS e da ACSS».

Partilhe

Deixe uma resposta