Estudo da Deloitte referencia pistas para a sustentabilidade da ADSE

Estudo da Deloitte referencia pistas para a sustentabilidade da ADSE

A APHP solicitou à Deloitte um estudo que permitisse perspetivar ações conducentes à sustentabilidade da ADSE. A decisão tem em consideração que a sustentabilidade da ADSE é de vital importância para 1 milhão e 200 mil beneficiários, mas também para o funcionamento do sistema de saúde e do SNS; que os hospitais privados são parceiros da ADSE; que se discute muito apesar de haver uma manifesta lacuna de informação sobre a evolução dos principais indicadores da ADSE.

O relatório final permite concluir que a ADSE tem sido sustentável e apresenta saldos significativos, mas também que o seu o seu universo é envelhecido e que o número de beneficiários tem vindo a reduzir-se.

Em termos de consumo, o estudo refere que o perfil de procura dos beneficiários da ADSE se assemelha muito ao dos titulares de seguros, mas o volume da procura é mais elevado. Tendo em conta que o custo médio por episódio dos utentes dos seguros é 30,4% superior ao dos beneficiários da ADSE (pelo valor pago diretamente pelas seguradoras, mas também pelos co-pagamentos mais elevados nos seguros), o custo da prestação de cuidados aos beneficiários da ADSE é muito inferior ao dos seguros (têm mais atos e pagam menos).

Face aos cenários avançados, e porque a manutenção da situação atual levará a uma situação de défice a prazo, a Deloitte conclui que é importante promover a moderação do consumo; serão necessários pelo menos 82 mil novos beneficiários para compensar as saídas; e que as medidas de sustentabilidade passam por rejuvenescer a ADSE, moderar o consumo e o Estado assumir as suas responsabilidades financeiras.

Tendo concluído que o padrão de consumos e a estrutura etária envelhecida dos beneficiários da ADSE são os principais fatores que podem colocar em causa a sua sustentabilidade, a Deloitte avança com 11 propostas concretas:

Partilhe

Deixe uma resposta