CUF-Porto revela que 85 a 90% dos doentes em processo de cura desenvolvem anticorpos

CUF-Porto revela que 85 a 90% dos doentes em processo de cura desenvolvem anticorpos

Num artigo recentemente publicado no Journal of Infection, órgão oficial de comunicação científica da British Infection Association, uma equipa de investigadores do Hospital CUF Porto, revela que 85 a 90% dos doentes em processo de cura da Covid-19 desenvolveram anticorpos.

Num momento em que a literatura sobre o tema é ainda muito escassa – alguns artigos chineses sugerem resultados similares – o artigo “Qualitative serology in patients recovered from SARS CoV 2 infection” é saudado pela comunidade científica como um avanço significativo.

Paulo Bettencourt, coordenador de Medicina Interna no Hospital CUF Porto e um dos investigadores envolvidos no estudo, já explicou publicamente que «é fundamental perceber de que forma o organismo humano se adapta e reage após a infeção e um dos aspetos primordiais é saber quantos de nós desenvolvem anticorpos para a Covid-19».

De acordo com o investigador, essa informação é crucial para avaliar o risco de reinfeção, «que é algo ainda bastante desconhecido, e perceber qual é o grau de imunidade que as pessoas adquirem após contacto com o vírus».

Desenvolvido em parceria com o Centro Hospitalar de S. João e financiado pela Fundação La Caixa, o estudo está em fase de conclusão e visa obter «informação decisiva» no combate à doença. «Vai determinar e dar informação muito importante sobre a Taxa de Ataque Secundário: isto é, vamos saber em cada família, dos conviventes com doentes, quantos foram infetados. Este número esclarece-nos, por um lado, sobre o comportamento do vírus e a sua taxa de infeção em ambientes em que a sua prevalência é elevada; por outro lado, ajuda-nos a saber mais sobre a imunidade que a população está a desenvolver para a Covid-19», explica o investigador.

Partilhe

Deixe uma resposta