Atraso na vacinação contra a Covid19 dos profissionais de saúde dos hospitais privados

Atraso na vacinação contra a Covid19 dos profissionais de saúde dos hospitais privados

Apesar de contactada, no final de 2020, pelo Coordenador da Task-Force gestora das vacinas anti-Covid19, a APHP ainda não conhece, mesmo após todas as insistências, o plano e o calendário de vacinação dos profissionais de saúde da generalidade dos hospitais privados.

A APHP estranha inclusive que se anunciem novos grupos prioritários de vacinação sem que se tenha concluído o processo relativo aos profissionais de saúde dos hospitais privados diretamente envolvidos na prestação de cuidados, incluídos no grupo prioritário da primeira fase de vacinação contra a Covid19, tal como previsto no documento divulgado pela referida task-force.

A inclusão deste universo de cerca de 15 mil profissionais — que asseguram o tratamento e a assistência a mais de 4 milhões de doentes por ano — no nível de prioridade também atribuído aos profissionais do setor público afigura-se «decisiva no esforço nacional conjunto para conter e, mais à frente, vencer o vírus que interrompeu subitamente o nosso modo de vida», considera Oscar Gaspar, presidente da APHP.

O presidente da APHP recorda que, desde março de 2020, os profissionais de saúde dos hospitais privados têm cumprido plenamente o dever de assegurar o tratamento de todos os doentes em todas as circunstâncias, assumindo, naturalmente, todos os riscos que, deste modo, também afetam as respetivas famílias.

«Estamos conscientes do nível de responsabilidade das nossas instituições e dos seus profissionais e sabemos bem a apreensão que todos sentem pelo facto de ainda não haver um plano concreto de vacinação nos hospitais privados, o que representa uma clara e inaceitável discriminação e não garante a preocupação com a saúde pública», assegura Oscar Gaspar.

Em resposta a esta “discriminação e incompreensível desigualdade”, a APHP interpelou a Entidade Reguladora da Saúde no sentido de assegurar a resolução da questão.

Partilhe

Deixe uma resposta