‘Acordo de Lisboa’ define critérios internacionais de imagiologia no conflito femoracetabular

‘Acordo de Lisboa’ define critérios internacionais de imagiologia no conflito femoracetabular

Uma equipa multidisciplinar internacional liderada pelo radiologista Vasco Mascarenhas e pelo ortopedista Paulo Rego, ambos do Hospital da Luz Lisboa, fixou os critérios internacionais para avaliar, em imagiologia, o conflito femoracetabular – que afeta adolescentes e jovens adultos.

Publicado na edição online de maio do European Radiology, a mais conceituada publicação científica europeia na área da radiologia, o já designado ’Acordo de Lisboa’ coloca um ponto final na grande variabilidade da prática clínica na avaliação do conflito femeroacetabular (em que há um contacto anormal da cabeça do fémur no acetábulo), que pode originar artrose precoce da anca.

Para o conflito femeroacetabular ser devidamente avaliado nos exames imagiológicos – que permitem depois estabelecer um plano de tratamento – é fundamental haver métodos, parâmetros e classificações para o caracterizar. A existência destes critérios é também decisiva para a investigação clínica sobre a doença. 30 especialistas (21 radiologistas e nove ortopedistas) oriundos de 13 países, liderados pelos médicos do Hospital da Luz Lisboa, fixaram as guidelines para a prática clínica e investigação nesta área, baseadas em evidência científica e clínica.

Partilhe

Deixe uma resposta